sábado, 31 de janeiro de 2015

"Nós bebemos demais, gastamos sem critério. Conduzimos depressa demais, ficamos acordados até tarde, acordamos cansados, lemos pouco, vemos televisão a mais.
Acumulamos bens, mas reduzimos valores. Falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos à Lua e voltámos, mas temos dificuldade e atravessar a rua e ir ao encontro do nosso vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Lutamos contra  a poluição, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não o nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planeamos mais, mas realizamos menos... Aprendemos a apressar-nos e não a esperar. Construimos computadores para guardar mais informação. Mandamos milhões de mensagens, mas encontramo-nos cada vez menos.
Estamos na era das refeições rápidas e da digestão lenta; do homem grande, de carácter pequeno; dos contactos frequentes e das relações vazias. Esta é era do trabalho contínuo, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Esta é era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas". Esta é a era de muita coisa na montra e quase nada na despensa. Lembre-se de passar tempo com pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre. Lembre-se de dar um abraço aos seus pais, a um amigo, pois não lhe custa nem um centavo sequer. Lembre-se de dizer "amo-te" ao seu marido (à sua esposa) e às pessoas que ama. E não se esqueça de gostar de si...que é o mais importante.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vem de dentro. Por isso valorize a sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre."
George Calin

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

"Dar é uma virtude e uma sorte. Há gente que tem tudo, tudo, e sente-se vazia. Procuras a alegria à tua volta e no mundo. Não sabes que só nasce no fundo do tu coração?

Javier Urra



Um dia feliz para todos

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Por vezes acho que todos os vazios de mim estão preenchidos e sinto-me completa. Depois há aqueles dias que basta uma palavra, uma simples palavra e abro em mim dúvidas. Apaziguo-me e digo que é passageiro, que depois de dissipadas estarei "maior" e mais segura. E assim é. 
Não posso assumir em mim o mau estar dos outros, o estar de mal com qualquer coisa e serem-me escorregadios. Se a distância é seu anseio, pois que seja; deixo de lado a vontade de diminui-la.
A consciência, a única a quem presto de imediato contas, para já, nada me tem cobrado! Sendo, levanto a cabeça e sigo em frente, ainda assim solícita. Faz parte de mim, que querem!?
Os vazios, esses, vão surgindo noutras situações e eu vou aprendendo com eles sempre mais um pouco. Claro que em muitas alturas resmungo e barafusto e reclamo, de mim para mim , depois, só depois tiro as lições.

Bom dia 


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Crónicas da Maria

"Maria, depois de aprender a ler, tomou os livros como o seu passatempo predilecto. 
Às quartas-feiras à tarde, dia em que a biblioteca ambulante ia à aldeia, Maria trazia sempre a quantidade máxima de livros autorizada, quatro livros. Tinha uma semana para os ler, facto que para ela não era obstáculo. Apesar da mãe lhe delegar imensas tarefas domésticas, já implementadas na rotina: fazer as camas, dar de comer às galinhas e aos porcos, tirar do galinheiro os ovos, e muitas vezes ir com a mãe lavar a roupa para o tanque, Maria fazia tudo com rapidez, de modo a poder devorar as histórias da Anita, quando era mais pequena e dos cinco e outras de aventuras, quando já na adolescência. Havia alturas que para além de ler os que ela tinha requisitado, lia também os trazidos pelas irmãs mais velhas.
Em certas ocasiões, para que os irmãos não a importunassem, escondia-se debaixo do velho divã, de colchão de palha, e refugiava-se num mundo que era seu. Maria adorava viver as imensas aventuras que tão avidamente devorava. Era aí, nesses momentos, que vivia o seu grande mundo de sonhos e fantasias em que era princesa, fada, detective, sereia. " 



Bom dia 

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O sol ainda há pouco nasceu e já o passeio junto ao mar se encontra cheio de gente. Gente que caminha com a determinação do olhar. Observo com cuidado os que me aparecem pela frente, os que mais ligeiros me ultrapassam e os outros, que eu vou deixando para trás. São homens e mulheres, novos e velhos e curiosamente, cada vez mais, adolescentes, normalmente raparigas.  Observo-os e tento adivinhar o motivo que os tira tão cedo da cama,  numa manhã de domingo tão fria e húmida. 
Alguns tenho a certeza que adivinho. Aquele casal de velhotes, tão roliços, deve ser para baixar a tensão e o colesterol; e aquele senhor que algum AVC lhe deixou a boca um pouco torta e arrasta um perna, deve ser como fisioterapia e para tentar alcançar a ligeireza que perdeu ; já aquele grupo de mulheres de meia idade, para além de quererem recuperar a forma, aproveitam, pelas risadas do grupo, para se distraírem e colocarem a conversa em dia; e aquela adolescente cheiinha que leva o cão, deve ansiar desesperadamente perder peso, nestas idades querem sempre perder peso!
Gente colorida, gente diferente,  gente tão igual, tal é a  determinação que cada uma delas carrega no olhar.


Eu caminho no meio delas, com a música que sai do meu mp3, como companhia, com o intuito  de observar o mar, sentir o inibriante cheiro a maresia e sobretudo relaxar!


Hoje venho deixar o meu testemunho de uma experiência que ando a fazer, a nível alimentar, e que, no meu caso, está a surtir efeitos.
 No inicio da semana passada comecei a consumir diariamente linhaça dourada moída. Tomo 1 colher de sopa três vezes ao dia: ao pequeno almoço, almoço e jantar. A linhaça não tem sabor e toma-se bem misturada no iogurte, na sopa ou mesmo na comida.
Apesar de ainda ser um pouco precoce falar, na primeira pessoa, dos benefícios tirados, posso desde já garantir ( cada caso é um caso ) que  me sinto saciada muito mais tempo e com menos tendência a petiscar "porcarias". Fruta a meio da manhã e da tarde têm sido suficientes. Para além disso, o transito intestinal está regularizado.
Acredito que esta dica possa ajudar as meninas (senhoras) que tanto lutam para perder peso. No meu caso foi mais com o intuito de acabar com a prisão de ventre ( já que o peso está dentro do normal, o que me dá mais curvas é  a flacidez que os tecidos vou ganhando com idade:))



Uma óptima semana para todos

domingo, 25 de janeiro de 2015

" E tu, mãe, quando tiraste o chapéu que trazias na cabeça, o teu cabelo caiu todo e tu ficastes triste. Dissestes que acreditastes sempre que te ias curar e afinal estava a chegar a hora de partires. Chorei tanto, tanto. Pedi-te para não me fazeres isso que eu não ia aguentar. Tu disseste-me para ter coragem e que eu era capaz sim, de continuar a minha vida sem ti, que com o tempo conseguiria ultrapassar. Acordei então aflita e verdadeiramente aterrorizada.
 Mãe, tu és a pessoa mais importante para mim na vida, sabes, gosto tanto do pai da R., mas sem ti não conseguiria viver. "
Perante a aflição que vim em seu olhar, virei-me em silêncio para Deus e pedi-lhe para nunca me dar como terminada a viagem, pelo menos, enquanto as minhas filhas não tiverem em suas vidas um amor maior.

bom dia a todos

sábado, 24 de janeiro de 2015

" já estou cansado, acredita! Isto de estar sempre a dizer a mesma coisa, de pedir sempre para fazer a mesma coisa, cansa tanto, nem sabes!
Não sei? pois então não sei!, é o meu maior cansaço desde, nem sei desde quando. Resta-me a esperança que o cansaço de ouvir constantemente a mesma coisa , sirva para tomar medidas para não ouvir sempre a mesma coisa!
Pode ser que o decreto elaborado ontem, sem oposição em nenhum dos itens  sirva, enfim, para criar mudanças a curto, médio e longo prazo.


Boa tarde a todos
" -sabes, dizias tu feliz ( com a felicidade dela ) havias de ver como ela estava tão contente com os dois euros que a fada dos dentes lhe deixou debaixo da almofada.
Dizia-te ela que a Leonor não tinha tido a mesma sorte, que a fada dela não lhe deixou nada.
-Sim, eu sei, ela também me contou com bastante tristeza. 
-Olha, sabes, acho muito bom ela viver estes momentos de magia e fantasia o mais tempo que conseguirmos, faz-lhe bem, fá-la feliz, dizias tu".
Não sei , digo eu, não sei...Até a descoberta que há coisas que são apenas parte do imaginário não são aceites, da mesma forma, por todas as crianças. 

Boa tarde

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Alguém há dias falava da inutilidade das gaivotas. Inutilidade? Mas então, não servem para equilíbrio do ecossistema marítimo?! 
Não servirão também, para que nas suas asas possamos voar bem alto,  sobrevoar o mar e desfrutar de toda a imensidão azul apaziguante? Não servirão para irmos longe, mais longe do que a vista possa alcançar, descobrir ilhas maravilhosas de vegetação estonteante e praias de areia dourada como o sol?
As gaivotas servem para irmos além de nós, para além de tudo a que já estão predestinadas.
É caso para perguntar, e as pessoas sem coração, para que servem? Para que sintamos, ainda com mais convicção, que o amor,  mesmo por uma gaivota, vale a pena, sempre vale a pena!




Tenho em mim a convicção que as relações perfeitas são todas aquelas, que vencendo todas a imperfeições, todos os obstáculos, se mantêm ainda assim, fortes! Que apesar de todos os obstáculos duas pessoas continuam a sonhar juntas os mesmos sonhos.
Para que uma relação seja perfeita, em todas as suas imperfeições é necessário sobretudo o respeito e o apoio mútuo, sem reticências.
Os filhos são flores que embelezam as relações de um casal, mas, tal como todas as flores, precisam que lhes dediquem tempo,  de modo a crescerem "belos" e saudáveis. A vida a dois passa a ter a nela inserida a vida da família. É, em muitos casos, nesta altura que as relações ficam abaladas, porque o tempo quer-se dividido. Há quem sinta que dividir é ficar com menos. Há amuos,  há incompreensão e há muitas birras entre o casal. Na realidade, dividir deveria ser sempre sentido como ganhar mais, muito mais. Dividir  é crescer, é aprender, é ser. Este seria o lado romântico, e mais doce da relação, se assim fosse. Mas, e quando os filhos têm problemas? Quando os filhos ao fim de trinta minutos, de terem adormecido, se enfiam na cama dos pais, a tremer de medo, pelos pesadelos constantes? A relação entre o casal é afectada, sem dúvida! Se as tentativas de resolução destes géneros de problemas, ou outros semelhantes, partir dos dois membros, mesmo que as soluções demorem a chegar, o apontar do dedo um ao outro deixa de existir. Resistir e ultrapassar obstáculos juntos, contribui, na minha simples forma de pensar, para edificar e criar relações "perfeitas".


Bom dia e um óptimo fim-de-semana

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

A minha adolescente há já uns meses decidiu que seria ela a arranjar as sobrancelhas, que já não precisava da minha ajuda. Na verdade enganou-se, porque fez asneira. Na semana passada decidiu que não estavam bem assim, que estavam muito rectas e que as queria mais arqueadas. Consumiu-me a paciência  para ir com ela à esteticista, depois de eu lhe dizer que enquanto elas não crescessem completamente, não valeria a pena. E porque parecia uma desmazelada, e porque não se sentia bem assim e porque.... O aspecto físico tem a importância toda, nesta idade, e nunca se está como se quer :(.
Depois de muito diálogo, consegui convencê-la que eu era capaz de as ir compondo aos poucos, dando-lhe um ar mais arranjado. Foi o que fiz. Com um lápis preto fiz o formato que ela pretendia que elas tivessem. Depois retirei todas as que estavam fora do desenho e finalmente compus um pouco com lápis preto as que ainda estavam,  pequenas. 
Ontem, na busca de orientação para melhores resultados, descobri estas dicas http://coisaspramulheres.blogspot.pt/2011/05/manual-da-sobrancelha-em-10-passos-como.html, que me ensinaram coisas muito importantes e que acho interessante ser do conhecimento de todas as mulheres que gostam de se arranjar.

Bom dia 

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Para Maria, as idas ao posto médico, eram dos poucos passeios, que tinha o "luxo" de fazer, por volta dos seus 7/8/9/10 anos, fora do lugar onde morava. Apesar de serem 12 km a pé (ida e volta), distância essa que por vezes, julgava ela, que as suas pequenas e frágeis pernas de criança, não aguentariam, naquelas ainda bem escuras manhãs, não deixava de sentir estas saídas como um bela quebra na rotina.
Quanto mais cedo chegassem, maior era a possibilidade de a mãe arranjar uma vaga, para que fosse vista pela médica.
Maria teve uma altura da sua vida em que foi motivo de muito desassossego, para a mãe, por conta de uma pneumonia, que por um triz, não lhe tinha colhido a vida, por isso, as idas ao médico eram também mais frequentes.
A mãe, coitada, vivia em constante sobressalto entre Maria e os outros oito filhos que nem sempre sucedia adoecerem ao mesmo tempo, o que lhe provocava frequentas caminhadas de 12 km para lhes tratar da saúde. 
Para Maria, a melhor altura para adoecer, ou ir a consulta de rotina, era na Primavera/Verão, porque as manhãs eram mornas, e levantar cedo era mais fácil, para além de poder entreter-se a observar as árvores, pássaros e apanhar flores silvestres que encontrava nas bermas dos caminhos, na Primavera, e apanhar uvas e amoras, no Verão. Porém, no Verão, havia o inconveniente de ser duro o regresso a casa, que sucedia por volta do meio dia, hora em que o sol já queimava em demasia, para além do caminho ser de forte inclinação ascendente! 
A Maria foi crescendo e reinventado as experiências. Tem hoje a convicção que, apesar da dureza da vida, os melhores momentos foram vividos nessa época, em que a beleza da natureza e da vida era vista com o coração, sem tecnologias a atrapalhar! Hoje, olhando para trás, Maria procura  ver de novo com o mesmo olhar de então e ser sempre feliz com as pequenas grandes coisas da vida.


Um dia Bom dia para todos :) 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Já vos disse que no meu posto de trabalho sou exemplar único do sexo feminino?
Já vos disse também que tenho uns colegas espectaculares, que me tratam com muito carinho? Não!?
Pois é, é verdade, estou rodeada de homens muito gentis e por vezes de tão gentis, fazem-me cair em pecado, eu que fujo das tentações, valha-me Deus!

Há 15 dias, mais ou menos, um ofereceu-me
sobra de uns produtos, que tinha andado a vender e que ficou esquecido no cacifo dele. Podia oferecer a uma irmã, a uma cunhada, a uma sobrinha ou à mulher, mas não, ofereceu-mo a mim e eu fiquei radiante, não porque seja muito amante de perfumes, prefiro água de colónia com cheirinho suave, mas porque a  minha mais velha gosta tanto e dá cabo deles num instante.



Outro, há dias, um ofereceu-me um

grande e forte, bem necessário para as ventanias que se levantam, aqui à beira-mar. É para fazer publicidade a qualquer coisa, ainda não me dei ao trabalho de reparar, mas mesmo assim fiquei muito feliz porque o meu, o único grande que me restava,  partiu sem cura possível.

Hoje aparece-me outro com


Aqui é que a porca torce o rabo!
Isto atenta-me, se me atenta! Não tenho coragem de lhe dizer que não, tamanha é a gentileza com que se me dirige. 
Sucede-se que a carne é fraca. Olho para ele e apetece-me, mas tenho medo de começar. É que em me apetecendo, e em começando, dá-se o descalabro total, só páro quando do dito não resta nada. Ai, ai e eu que andava tão certinha! 
Lá está, é por isso que eu não emagreço, nem engordo! Uns dias faço tudo tão direitinho, que é um regalo ver-me. Noutros, em que me atentam, tudo descamba.




segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Sendo mãe há 14 anos e meio, e pela segunda vez há quase 7, concluo que o facto dos filhos serem tão diferentes, não é por mero acaso. Que Deus deu a dádiva, a quem tem mais que um filho, de poder crescer muito mais como mãe/pai. Nós é que, infelizmente, não nos damos logo conta disso.
Nós não podemos (não devemos) reclamar que educamos os filhos da mesma maneira e que por isso eles deveriam ter o mesmo comportamento.
É errado  nós pensarmos que eles têm e devem chegar ao mesmo local, pelo mesmo caminho do irmão/irmã mais velho/a, ou que a mesma técnica tem, obrigatoriamente, de trazer os mesmos resultados. Quanto estamos a educar dois filhos diferentes, somos nós que temos de ser diferentes, para um e para outro, e crescer nessa diferença de ser. 
A forma educada de ser, o respeito pelo outros são alguns dos princípios bases em qualquer educação, a forma de os incutir é que terá de ser completamente versátil de filho para filho. 
Pode não ser regra o que vou dizer, mas observo que muitos dos segundos filhos são, em muitos casos, mais "difíceis de educar". Mas será que eles são assim tão "mais difíceis", ou será que nós, como pais, é que não nos dá-mos conta, de imediato, que a maneira de estar perante o filho que chega em segundo lugar, tem de ser diferente do primeiro?! Não será que nos deixamos levar pela ideia que se correu bem agir de determinar forma com um, também vai funcionar bem com o outro?

Há dias que me dá para reflectir nestas coisas e depois fico sem saber se estas constatações serão corretas, ou não. O que acham vocês deste meu ponto de vista!?

" Educar é das tarefas mais difíceis, mas é também a mais bela"

Javier Urra



Um dia feliz para todos



De facto para mim fazer meditação é o que me relaxa e me traz a calma necessária para enfrentar o dia a dia. Nestes últimos tempos não o tenho feito diariamente e tenho andando muito mais irritadiça, menos paciente também.
Tenho que arranjar espaço para me "desligar integralmente", no mínimo de dez minutos diários, não posso deixar andar, porque as mossas são inevitáveis, para mim e para os outros!

Quanto não medito, até um dia que podia ser fabuloso,


poder tornar-se num dia de tempestade


Para funcionarmos bem, temos de bem tratar o corpo com alimentos saudáveis e exercício físico, mas não podemos esquecer que quem comanda o corpo é a alma e o coração, e esses precisam, acima de tudo, de ser tratados com carinho e gentileza.
Isto é o que todos deviamos fazer, o que eu tenho de fazer, como se fosse o creme hidratante do meu interior!

Tenham uma semana muito feliz e relaxada.





sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Contrariedades

Contrariada: - és a mãe pior de todas! Não gosto de ti como tu és!
Passando um pouco: - desculpa, não gosto de ti como és, mas não sei como queria que fosses, se fosses diferente!
A minha pequena tem assim destes momentos ( bem melhores do que quando ficava agressiva ). Eu sorrio, apenas sorrio:).


Um feliz fim-de-semana para vocês


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Recordar é a forma de dar a volta por cima

Estes meus dias têm sido de loucos.  Para juntar à festa o responsável pelo tempo decidiu que já bastava de doces e decidiu pregar-nos esta partida. Hoje já fiz a pré-lavagem e exercício aos braços, a segurar o guarda-chuva, com verdadeiras manobras para que não se partisse todo. Que raio de ventania havia de vir como brinde!
Seco e frio estava tão bom :)!

Ficam-me os momentos bem aproveitados dos fins-de-semana anteriores. 

Pão seco para os patos
Vieram de todos os lados, até as gaivotas vieram comer do meu pão.

Ribeiro que enche o lago. Paisagem que enche o coração. 

O meu Simba, tão fotogénico:)!

 Pôr-do-sol

Logo após o pôr-do-sol, quando ainda os seus raios batiam nas nuvens.


Até depois





terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Mensagem inteligente



Só a vontade não basta  para cumprir objectivos, para atingir metas, para ir mais além, realizar sonhos, enfim! Só com o empenho e a constância como aliados é que tudo se torna possível.



segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Forma de estar

Hoje e sempre uma forma de estar  na vida


Adoro ver gente com os olhos a brilharem de felicidade.

Uma semana muito feliz para vocês

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Constância e determinação

Ser autoritária, sem usar do autoritarismo, impor regras, não ceder a birras (nunca) e destinar tarefas, de forma implacável foi o mote de ontem cá por casa e na realidade surtiu efeitos. A mais pequena limpou o rabo sem mendigar ajuda; só se levantou da cadeira depois de terminar os trabalhos de casa e guardou o material escolar, com resmunganços, mas arrumou; não tentou adiar a hora de se deitar e não levou à avante ler os textos dos trabalhos de casa na hora de dormir, na hora de dormir é hora de outras histórias. A mais velha, quando cheguei, tinha o quarto em pantanas, não lhe toquei em nada, só lhe perguntei se estava tudo em ordem no que fazia parte das suas competências, em 5 minutos arrumou tudo. Decididamente ser autoritária, sem cedências a birras e a chantagens, surte efeitos, tenho é de treinar mais. 
Usei maior parte do tempo que já vivi a fazer tudo, bem, quase tudo. Sempre assumi a maior parte das tarefas como sendo minhas, e outras fi-las porque sempre me incomodaram vê-las por fazer. Agora chegou a hora de acabar com essa era e iniciar a era de cada um faz o que lhe é destinado. Haverá sempre a possibilidade de haver troca de tarefas entre as partes, mas não haverá mais a que faz quase tudo e os que não fazem quase nada.
Mudando de assunto, e porque tudo é necessário para um crescimento de seres responsáveis, mas saudáveis, hoje foi dia de consulta de pediatria para adolescentes. Foi muito bom a ver a minha adolescente sair de  do consultório com ar tranquilo, depois de ter tirado todas as suas dúvidas, e feliz, pela médica, depois de ter um a parte da consulta só com ela  (do foro confidencial) lhe ter dito que ela era muito linda por dentro e por fora.Também nos felicitou a nós  (neste género de consultas fazemos por ir os dois), o que de alguma maneira nos vem tranquilizar quanto ao trabalho que estamos a fazer enquanto pais.
No fundo o que eu quero, nós queremos, é mesmo ter uma família feliz e preparar seres para enfrentar a vida com desenvoltura e otimismo quando lhes surgirem os obstáculos que, inevitavelmente, farão parte dela; terem a seriedade para escolher o melhor caminho, mesmo que não seja o mais  fácil de trilhar.


Um bem haja a todas pelos vossos sempre muitos motivantes comentários e por estarem desse lado prontas a "ouvirem" os meus desabafos :)

Um fim de-semana muito feliz para todas


quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Livro - "pais brilhantes, professores fascinantes"- de Augusto Cury

Quanto mais sei, mais sei que nada sei. É sempre esta a sensação que tenho quando termino um livro!
Todo o livro traz consigo conhecimentos e saberes. Este que acabei de ler é excelente a nível de auto-ajuda, e não só, e faz-nos viajar para dentro de nós. É um livro a reter  e a reler sempre que necessário. Aconselho vivamente a todos os pais e a todos os professores que o leiam (todos os educadores). Uma pequena atitude, um pequeno gesto pode mudar uma vida para sempre, para o bem ou para o mal.


Um dia feliz para todos

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Músicas que não se esquecem

Do dia de ontem ficou um lindo postal de Natal, chegado nos Reis; broas de mel à sobremesa, música de Natal cantada no fim de jantar ao som dos talheres a bater nos copos, pratos e garrafas e esta música que hoje não me sai da cabeça. 


Repassando email

repassando email recebido ...

"Neste artigo, vou resumir os 7 pontos principais para atrair a Prosperidade:

1 – Assuma total responsabilidade pela sua vida financeira atual e pela mudança. O hábito de reclamar do país, da economia, dos pais, do chefe, da falta de oportunidades, do sócio ..., coloca você no lugar da vítima. Quanto mais reclamarmos, mais atrairemos situações para reclamar e deixaremos de captar oportunidades de melhorar. Pare de reclamar agora. De forma consciente ou inconsciente, você ajudou e muito a criar a sua situação financeira actual, seja ela boa ou ruim. Não é para sentir culpa, mas é para você assumir 100% da responsabilidade pela situação atual (não importa quem ou o que tenha contribuído) e assim você é também 100% responsável por mudar tudo. Dessa forma você sai do vitimismo e pode começar a atuar. Não espere as situações mudarem, comece a atuar e a coisas vão mudar.

2 – Desenvolva a visão de que o mundo é abundante, com infinitas possibilidades de prosperar para todos os seres humanos. Existe mais do que o suficiente para que todos os habitantes do planeta tenham uma vida abundante. Quando começamos a pensar dessa forma, nos libertamos da culpa em prosperar pois entendemos que há para toda a gente e que é possível que todos cheguem à abundância (mesmo que muitos ainda não tenham conseguido). Além disso, nossa mente começará a ver oportunidades de prosperar em todos os lugares. Quando comecei a mudar minha forma de pensar, comecei a ver em todos os problemas, oportunidades de ajudar as pessoas e prosperar com isso. É incrível como uma mudança mental nos faz ver coisas que antes não víamos. Onde há problemas, insatisfações, reclamações; há oportunidades de se criar bens e serviços para solucioná-los.

3 – Doe 10% ou mais de tudo que você ganhar. A prática da doação é um poderoso gerador de prosperidade. A doação purifica a negatividade e isso diminui perdas e prejuízos e ajuda a atrair mais oportunidades. Além disso, quando doamos estamos enviando uma vibração de prosperidade, de que temos mais do que o suficiente e por isso podemos doar. Essa vibração atrairá mais situações para que você prospere. Não espere ter mais para doar. Doe agora e verá a sua prosperidade aumentar. Escolha causas que trazem crescimento para o seres humanos pra fazer a sua doação: instituições beneficentes, ONGs, filosofias espiritualistas, religiões, projetos nos quais você acredita, e ...

4 – Seja um bom recebedor!
Sinta-se merecedor de uma vida próspera e abundante. Existe mais do que o suficiente para todos e você é também um ser humano digno que merece tudo de bom.  Algumas pessoas são ótimas doadoras e conseguirão executar a dica do item 3 (doar 10%) com facilidade, mas são péssimas recebedoras e bloqueiam totalmente a entrada da prosperidade. Se sabotam, deixam para outras pessoas, perdem oportunidades, ficam cegas... Permita-se ter mais e sentir-se bem com isso. Se você deseja o bem e a prosperidade para toda a gente, e acha que isso é algo espiritualmente saudável, que tal se incluir nessa“toda a gente”?

5 – Liberte-se do desespero por ter mais. A vibração da necessidade, a ansiedade por mais, é uma vibração de escassez. E pela lei da atração, atraímos aquilo que vibramos e não aquilo que dizemos querer da boca para fora. Se você vibra necessidade e ansiedade, atrairá mais situações para se sentir ansioso e necessitado. Sendo assim, sinta-se pleno e grato com o que você tem agora. Sei que é difícil muitas vezes se libertar desses sentimentos. Quanto mais felizes formos no agora, mais atrairemos a prosperidade.

6 – Faça uma lista de gratidão. Conforme visto no item anterior, se sentir feliz é uma ótima forma de atrair abundância. Sendo assim, faça uma lista de todas as coisas que você se sente grato em ter. Olhe as coisas que você tem. Mesmo que não tenha tudo que deseja, você tem várias coisas e deve sentir-se grato por isso. Você está a ler esse texto, provavelmente no seu computador, debaixo de um teto (seja próprio, alugado ou emprestado)! Comece a prestar atenção em tudo: roupas, sapatos, escova de dentes, papel, lápis, electrodomésticos... Não importa se ganhou, se você comprou ou se alguém lhe emprestou. O fato é que você usufrui de muitas coisas. Pare de se focar no que você não tem, e faça uma lista para se sentir grato pelo que você tem. Leia a lista todos os dias antes de dormir e procure realmente sentir a sensação da gratidão surgindo. Alimente este sentimento. Se conseguir se sentir grato durante o dia em outros momentos, melhor ainda. Você estará contribuindo e muito para gerar mais e mais prosperidade. Essa vibração irá atrair mais situações pelas quais você se sentirá grato.

7 – Pare imediatamente de associar o  dinheiro  a pensamentos e sentimentos ruins! Sempre que você o associa a pensamentos e sentimentos negativos (dinheiro  é sujo, é o mal da humanidade, corrompe as pessoas ...) você estará, inconscientemente a sabotar-se para não ter algo que pode ser tão nocivo. Dinheiro  é uma óptima ferramenta, ame-o por tudo o que ele pode proporcionar na sua vida e na vida de outras pessoas. Claro que existem pessoas que fazem uso dele para causar sofrimento. Mas você pode escolher um caminho diferente: ganhar mais e mais para proporcionar bem estar e conforto para você, sua família e para quem mais você quiser".

Esta é aquilo tipo de mensagens que, apesar do ponto de vista de cada um, nunca é demais ler, por isso mesmo decidi partilhar.  Cada um que tire (ou não) o melhor partido dela.




Um dia pleno de bons momentos para vocês

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

A espontaneidade das crianças

Há coisas que me tocam. Tantas coisas que me tocam. Ontem tive mais um momento inesperado que me deixou de sorriso de orelha a orelha. Telefonava eu a uma tia a dar-lhe os parabéns pelo seu aniversário, quando o seu neto, meu primo em segundo grau de 7 anos, lhe pede para falar comigo, facto que me surpreendeu (convivemos muito pouco). Diz-me ele: muito obrigada L. pelo postal de Natal que mandastes para nós, eu gostei muito e quero dizer-te que, tal como eu, tens uma letra muito bonita. Fiquei emocionada e tão feliz com aquele gesto tão espontâneo e verdadeiro. Lindo este menino!


Um dia feliz para vocês

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Cumplicidades

A minha minha filha mais velha há já muito tempo, e depois de emagrecer o que pretendia, que nos andava a pedir para lhe deixarmos colocar um piercing no umbigo.  Durante esse tempo fomos digerindo a ideia, porque nós não somos  amantes destas coisas tal como não gostamos de tatuagens (só se for uma bem pequenina e num sítio bem discreto) e afins.  Antes do Natal dizia-nos que o que queria de prenda de Natal era o livro "Prometo falar" e o piercing. Perante a primeira escolha ficamos muito felizes, perante a segunda nem tanto e por isso continuamos relutantes. 
Neste fim-de-semana sempre nos decidimos a autorizar. No sábado pela manhã lá fomos as duas tratar do assunto, enquanto pai e filha mais nova ficavam no quentinho da cama.
Embora ela fosse um pouco apreensiva, devido aos relatos de sofrimento feitos por algumas colegas, nem lhe custou muito. E o brilho de felicidade no rosto dela, depois de o ter colocado era imenso. 
Depois ainda fomos dar um passeio junto ao mar para completar o momento de cumplicidade. Momento este guardado no coração pelas palavras que me disse.
Sábado foi também dia de passear em família pela praia, de ver mais um esplendoroso pôr-do-sol. O serão foi quentinho, enrolada no sofá com a mais nova porque o pai da casa teve, tal como todos os sábados à noite, jogo de basquetebol, e a mais velha teve festa de anos/pijama da melhor amiga.
Domingo de missa com cantar da janeiras no fim da mesma, experiência muito gira vivida com a mais nova.
A vida é feita de belos momentos,  este fim de semana teve dos dois, os menos bons, esses ficarão lá atrás porque nem aprendizagens tirei deles, dado serem demasiado repetidos.

Tenham um a semana repleta de momentos felizes

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Passagem de ano/Dia de Ano Novo

Foi uma passagem de ano diferente. Foi tão bom ter este ano os meus pais comigo e mantê-los acordados até à meia-noite para brindar com eles logo nos primeiros segundos de 2015. Foi excelente o momento de bater tachos e panelas na varanda, em conjunto com a vizinhança, ao som do fogo de artificio que se ouviu vindo de todos os cantos da cidade. Os sorrisos deles perante este espectáculo nunca antes visto ficar-me-á no coração para sempre.
No dia de Ano Novo o convívio entre os quinze que se juntaram cá em casa, foi do melhor. Depois do almoço, e de cantados os parabéns ao pai, foi hora de dar um passeio e ir ver o mar. Há momentos que valem ouro e são esses que nos enriquecem a vida e tornam valiosa a nossa bagagem.Destes dias é esse o melhor peso que trago comigo, os bons momentos!

Um 2015 cheio de bons momentos para todas (os)

Um excelente fim-de-semana