domingo, 25 de janeiro de 2015

" E tu, mãe, quando tiraste o chapéu que trazias na cabeça, o teu cabelo caiu todo e tu ficastes triste. Dissestes que acreditastes sempre que te ias curar e afinal estava a chegar a hora de partires. Chorei tanto, tanto. Pedi-te para não me fazeres isso que eu não ia aguentar. Tu disseste-me para ter coragem e que eu era capaz sim, de continuar a minha vida sem ti, que com o tempo conseguiria ultrapassar. Acordei então aflita e verdadeiramente aterrorizada.
 Mãe, tu és a pessoa mais importante para mim na vida, sabes, gosto tanto do pai da R., mas sem ti não conseguiria viver. "
Perante a aflição que vim em seu olhar, virei-me em silêncio para Deus e pedi-lhe para nunca me dar como terminada a viagem, pelo menos, enquanto as minhas filhas não tiverem em suas vidas um amor maior.

bom dia a todos

2 comentários:

  1. Coitadinha, tanta preocupação. Quando eles são pequenos somos o porto de abrigo deles, quando crescem continuamos a ser, eles é que pensam que não, sempre lhes iremos fazer falta eu acho. Que dures muitos e muitos anos. Beijinhos

    ResponderEliminar

Agradeço a visita. Volte sempre!