quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Há dias em que a ambivalência de sentimentos me deixa atordoada. A tristeza que que me dilacera quando agressividade está ao rubro, em que que eu sou uma ignorante e nada sei de nada, nada sei de ti e nem do que tu sentes, dizes tu. Sinto em ti uma mistura de ingratidão e, ao mesmo tempo de raiva e revolta que não sei de onde vem. A minha alma grita, o meu coração desespera. Há dias impossíveis de controlar mágoas e dores. Ao mesmo tempo, e por trás de tudo isto, existe um amor sem fim; uma esperança que esmorece, mas não morre; abraços e "és a melhor mãe que se pode ter". Existe o acreditar que ser mãe, é ter todas as adolescências para as quais nos propusemos e que nenhuma delas possa ser fácil.
Quando julgamos que a nossa própria foi difícil pela ausência de uma estrutura afectiva apoiante, vimos a descobrir que menos dificuldades e mais afectividade e conhecimento não fazem desta fase, menos árdua, ou menos difícil para quem passa por ela, e para quem com ela tem de conviver.
Por vezes perco a assertividade, perco o controlo, perco a paciência, quase perco a cabeça. Isso dói-me. Dói-me mais, até, do que todos estes contornos da adolescência, por vezes, muitas vezes, demasiado aborrecente.
Hoje caminharei sem pressa, respirarei fundo os raios de sol, chorarei sózinha. Recompor-me-ei. Amanhã será um dia novo, cheio de potencial para felicidade, como qualquer outro. Só hoje chorarei para lavar o coração. Para lavar o medo de estar a falhar. Para tentar lavar a culpa de não ser o que deveria ser na hora de ser!

3 comentários:

  1. Tem calma e faz o que achas bem fazer. Logo tudo entre nos eixos. Abraço :)

    ResponderEliminar
  2. Entristece-me muito saber que passas por momentos assim difíceis...tu não mereces de maneira nenhuma,mas as coisas irão melhorar com o tempo! Pelo menos assim espero! A adolescência parece cada vez mais dificil!!!!Nem quero imaginar o que ai vem! CORAGEM maninha! beijos

    ResponderEliminar
  3. Minha amiga, ler isso faz-me sentir triste...desculpa não ter ido almoçar contigo naquele dia, tu compreendes o porque...falar fazia bem a ambas!
    Mas não desesperes é só uma fase menos boa e com toda a certeza vai passar, espero que neste momento em que te escrevo já tenha passado.
    Muita força.
    Beijokas

    ResponderEliminar

Agradeço a visita. Volte sempre!