segunda-feira, 23 de março de 2015

Crónicas de Maria - Inverno

Maria, ainda criança pequena, antes de ter entrado na escola, gostava de ir para casa da avó e ficar a vê-la costurar na sua máquina, que pedalava freneticamente. Remendos em lençóis,  remendo nas calças dos irmãos de Maria  e fraldas de pano, eram os trabalhos que a avó mais fazia e, assim, ajudava a filha na criação dos netos. 
Nos dias de inverno, a avó enchia um alguidar de barro com brasas, que tirava da lareira da cozinha, e levava para a loja, local que utilizava para os suas costurices.
O inverno era rigoroso, e o frio entrava por todos buraquinhos, frinchas e frestas da humilde casa. O alguidar de brasas era sempre um aconchego bem vindo, no desalento gelado do ambiente. Avó e neta, assim se aqueciam, enquanto uma brincava com os farrapos que a outra ia deixando cair ao chão.
Num desses dias, em que o frio estava particularmente difícil de suportar, Maria ia esticando as suas mãozinhas para as aquecer nas incandescentes brasas e, repentinamente, desequilibrou-se e caiu de mãos nas brasas. Foi uma dor, um sofrimento atroz. Valeu-lhe o tio mais novo, que tinha uma caixa de primeiros socorros  e prontamente a tratou. O sofrimento esse, Maria já nem se recorda, mas acredita que ficou ainda por um longo tempo. Infelizmente este não seria o único acidente que Maria teria que envolveria fogo!

Bom dia para todos 

3 comentários:

  1. Que bonito L. E coitadinha da Maria que podia muito bem ser eu. Nunca me queimei nas brasas, mas aquecia muitas vezes as mãos na lareira enquanto via a minha tia fazer as suas costurices :))

    ResponderEliminar
  2. Conheço uma história semelhante!
    Antigamente acontecia muito nas aldeias...junto às lareiras onde eram feitos os serões!
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  3. Belo texto! memórias que me dizem muito!Vividas em tempos distintos, é certo, mas tão semelhantes em variadíssimos aspetos! E quando a avo da Maria quase pegou fogo à casa, por conta dum paralelo aquecido na lareira que colocara na sua cama!O buraco ficou lá por alguns anos para contar a sua história!Beijos

    ResponderEliminar

Agradeço a visita. Volte sempre!