sexta-feira, 20 de março de 2015

Coisas que vêm com o tempo

Os anos e a vida trazem-nos preciosidades como o descomplicar; a despreocupação quando aquilo que somos perante olhares, que pouco ou nada nos dizem; a leveza de ser e fazer o que gostamos, independentemente da crítica negativa; a força de não esmorecer perante algumas derrotas; a tenacidade de lutar uma e outra vez por algo que acreditamos ser de facto o caminho certo, sem nunca desistir! 
Mas, também por esta altura, quando os pratos da balança deveriam estar em perfeito equilíbrio, as mazelas no físico começam a surgir aqui e ali. Não falo de rugas, nem celulite, nem da diminuição da massa muscular, nem dos cabelos brancos que aos poucos vêm ganhando terreno, porque isso não me rouba o sono. Falo de alguma invisualidade que começa, ainda que pequena, a surgir. Falo das dores nos ossos que me impedem muitas e tantas noites de ter uma noite descansada. E a minha coluna, que tanto já sofreu, há dias que não me dá sossego. Há dias em que quero e planeio fazer tantas coisas, que numa fase ainda verde da minha personalidade, fui deixando para lá, e agora a condição física vem tentando fazer oposição. 
A vida é assim, vão-se alterando as lutas. Vão-se renovando e criando novos objectivos. A vida não pára. Convém que com a sabedoria adquirida pelas vivências, consigamos contornar os obstáculos físicos que nos vão surgindo, com sensatez e realismo, de forma a não deixar os pratos em novo desequilíbrio.

Bom dia para todos



4 comentários:

  1. Adorei este teu post. É mesmo verdade, a idade traz-nos uma serenidade e uma sabedoria que não trocaria por menos anos de vida. Beijinhos e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  2. A vida traz umas coisas e leva outras. Há pouco, dizia-me uma colega da hidroginástica que, no momento atual, teria tudo para ser feliz. Com os filhos criados, com a reforma assegurada, com tempo para viajar, tudo seria perfeito não fossem as dores a estragar tudo. Ela esquece-se que, quando não tinha dores, tinha os filhos para criar, tinha de trabalhar e não tinha o tempo que tem hoje para viajar. A vida é um permanente ajuste e uma contínua aprendizagem. Saber viver com o que a vida nos tira e saber encaixar o que de novo nos traz, é um verdadeiro desafio que enfrentamos todos os dias.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Tens toda a razão mais uma vez. Passamos a vida a redefinir os nossos azimutes, as nossas prioridades e a reajustar os nossos objetivos. Pena que nem sempre consigamos o equilíbrio mas também penso que este acaba por se ajustar também ele a nos e nós a ele se nós quisermos e estivermos na disposição de fazer estes ajustes para ser feliz. Certo? Beijinho grande. Gosto de ti, és muito positiva, gosto disso :)

    ResponderEliminar
  4. Apesar de tudo não trocaria a minha vida de agora, pelos anos passados, a serenidade e a aprendizadem desses anos fizeram-me uma pessoa melhor e mais forte.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Agradeço a visita. Volte sempre!