terça-feira, 19 de maio de 2015

Dores insuperáveis, dores imensuráveis.

Ainda a propósito do crime cometido em Salvaterra de Magos, porque ainda hoje foi falado por cá, as opiniões dividem-se quanto às palavras que a mãe do autor do crime deixou no Facebook. Aqui deixo a minha opinião:
Não há mãe nenhuma que esteja preparada para a perda de um filho. Será uma dor sem fim, o amputar de um pedaço de alma, uma dor insuperável. Mais terrível ainda, quando esse filho é saudável e tem uma mundo de projectos à sua frente e lhe é arrancado por alguém, numa absoluta inexplicação.
Não há mãe nenhuma que esteja preparada para se confrontar com a realidade de ter um filho homicida. Será por certo um emaranhado de sentimentos terríveis que a assolam e a deixam de coração desfeito e alma perdida.

A meu ver a rejeição de um filho por uma mãe com tantos sentimentos terríveis à flor da pele, despoletados por esse mesmo filho, não deve ser vista como um sentimento derradeiro. Tanta coisa se diz e, por vezes faz, perante as batidas irregulares de um coração magoado que não parece correcto julgar palavras ditas neste contexto.
Ambas as mães se encontram desfeitas com a realidade que cada uma delas enfrenta. A mãe que ficou sem o filho também jamais se conformará. A mãe do miúdo que cometeu o crime, nunca mais será a mesma.

2 comentários:

  1. Realmente dores para as duas e ninguém quer estar no lugar de uma delas!Triste! bjs,chica

    ResponderEliminar
  2. Não critico nem condeno, é uma situação pela qual ninguém devia ter de passar e só quem passa é que sabe as razões das suas atitudes...

    ResponderEliminar

Agradeço a visita. Volte sempre!