sexta-feira, 26 de junho de 2015

S. Pedro, a festa da minha cidade.

Ontem iniciaram-se os festejos da festa de S.Pedro que decorrerão até ao dia 5 de Julho. Por cá teremos fim-de-semana prolongado com feriado municipal no dia 29 (que bem que vai saber)!
Aqui ao lado, no lar da Santa Casa, já cheira a sardinha assada e ouvem-se músicas alusivas à festa.



O início é inaugurado com a festa do S. Pedrinho da pequenada, que reúne as crianças do jardins de infância da cidade, bem como de algumas aldeias circundantes.









É um espectáculo belo e ternurento apreciar o jeito dos nossos pequeninos:)

Faço votos, gente boa que me lê, que tenham um excelente fim-de-semana, cheio de sol e alegria. Agradeço profundamente todos os comentários que tão carinhosamente me deixam. O mundo virtual é  um mundo onde se ganham e criam  afectos e através dele tenho guardado muitas de vós no meu coração Peço desculpa pela minha ausência nos vossos sítios, ausência essa que em breve (espero eu) deixe de ser.




terça-feira, 23 de junho de 2015

Desabafo

Eu sou uma mãe irresponsável porque este ano estou a dar  liberdade à minha miúda de ir para a praia com as amigas/os. 
Dar este consentimento é dar liberdade excessiva para a idade. Para além de tudo  a filha da A. (isto é sempre muito importante)  além de não sair, cuida e brinca da irmã mais nova, coisa que a minha não faz. Quem é a mãe afinal, pergunto eu? Seria justo privar a mais velha de estar com os amigo para tomar conta e brincar com a irmã mais nova (a 8 anos de distância de interesses)!? 
Arre que eu hoje estou mesmo enervada que se me confunde o raciocínio. Há pessoas que param no tempo, para além de se acharem no direito de opinarem em assuntos que não lhes dizem respeito, sem que lhes seja pedida opinião!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Dias bons.

Quando a semana é de trabalho até à raíz do cabelo, os fins de semana têm de ser aproveitados para fazer acontecer momentos que valham a pena ser guardados no baú das memórias felizes.
Foi o que fiz. Entre a tarde sábado de praia, para lá de boa, com excelente temperatura de ar e com um mar a assemelhar-se ao mediterrâneo, valeu a pena deixar as arrumações para outro dia.
Domingo foi dia de passeio pelo jardim de Serralves e de piquenique em família no parque da cidade do Porto.  A sombra das árvores fizeram esquecer que o dia estava tão quente e fizeram-nos desfrutar de muita conversa e merecido descanso.


Serralves










Parque cidade do Porto





Recomeço a semana ainda dentro da mesma azáfama (nunca mais me vejo livre da papelada papel, uffa!), mas crendo que brevemente darei por concluída esta tarefa extra .

Bom dia e
Boa semana para todos




quinta-feira, 18 de junho de 2015

18 de Junho de 1989.

Corria o ano de 1989, e o Verão chegava a passos lentos. Maria ansiava a sua chegada, deitada de baixo da árvore da escola, mergulhando no azul do céu, imaginando-se à beira mar. 
Esse ano, tal como anterior, estava a ser duro para ela porque o acidente, que lhe deixara marcas profundas no corpo, lhe tinham fragilizado mais ainda a sua já tão baixa auto-estima.
O "convite"  dos tios para o emprego apanharam-na de surpresa e deixaram-na numa miscelânea de sentimentos e receios, para os quais também contribuiu a pressão da mãe. 
Que era o melhor para ela, que era um trabalho seguro e para a vida, disseram-lhe. 
Maria, que tinha vivido os últimos dois anos como sendo os mais difíceis da sua vida, sendo que tinham coincidindo com essa fase da vida (quase) sempre conturbada, a adolescência, não ousou contrariar nenhum deles. 
Nessa altura ela adorava a área de psicologia, mas não tivera tempo sequer de projectar o caminho a seguir. O caminho fora-lhe praticamente imposto.
No dia 18 de Junho de 1989, a caminho dos 19 anos, Maria ingressa no mundo do trabalho, sem questões, nem interrogações. 
Na pequena cidade, longe da aldeia, da família, dos amigos e conhecidos Maria fez-se mulher. Chorou como nunca, sofreu como nunca, viveu tantas vidas, tantas histórias, tantos dramas, tantas alegrias, tantas felicidades. Perdeu amigos para sempre e ganhou outros para a vida. Aprendeu o significado do verdadeiro amor e, essencialmente, aprendeu a amar-se.
Em 26 anos de serviço Maria executou as mais diversas funções dentro da instituição onde foi colocada. Foi secretária do Conselho de Gerência; auxiliar de higiene e limpeza; a auxiliar de ação médica; administrativa de Serviço de Urgência e de quase todos os departamentos administrativos. No exercício de algumas chorou muito sozinha em casa;  noutras, foi muito feliz ! Em todas elas aprendeu muito. Aprendeu sobretudo a essência das pessoas e de como o desempenho desta ou aquela função faz mudar a forma como se é tratado. 
Maria, ainda que não se sinta realizada naquilo faz, é feliz! A vida tem-lhe ensinando a subtrair o que não vale a pena, tirando antecipadamente a aprendizagem necessária.

Bom dia a todos

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Balanço da semana

Semana, ainda que mais curta que o habitual, foi difícil. O trabalho excessivo, aliado a alguns incómodos desagradáveis de saúde fizeram dos dias, dias menos bons.
A esperança, essa renasce a cada momento, crendo em dias mais amenos. O fim de-semana está aí e o positivismo aumenta à sua proximidade.


Um excelente fim-de-semana para todos


segunda-feira, 8 de junho de 2015

Há, no entanto, aqueles fins-de-semana que nos enchem a alma e o coração. Regressar  às origens e debaixo de temperaturas que rondaram entre os 35 e os 42 graus e fazer de lugares assim uma óptima companhia.









Os meus mais velhos (marido e filha) pedalando rio acima, enquanto nós, as mais novas, nas cadeiras traseiras, desfrutávamos da paisagem


Alegres almoços e jantares em família de onde saíram muitos planos para fins-de-semana diferentes. 
Posto isto, assim dou início uma nova semana, de energia renovada para encarar a azáfama implementada nos meus dias.


Um excelente semana para todos


sexta-feira, 5 de junho de 2015

Os dias passam a voar no meio de tanta azáfama. 
A presença por cá não tem sido possível pois quando dá para parar, já estou vencida pelo cansaço. A semana, ainda que sem saídas do serviço, tem sido agarrada as tarefas que foram pedidas "para ontem". As requeridas diariamente também não podem, de modo algum, deixar de ser feitas.
Sinto falta de escrever e de vos  ler. Acredito que tudo se aquietará dentro de algum tempo. 


Um bom fim-de-semana para todos

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Fim-de-semana de peregrinação e muitos afazeres

Tinha a esperança de poder parar um pouco durante o fim-de-semana, mas não foi de todo possível. O marido trabalhou no sábado de manhã por motivos urgentes e inadiáveis do serviço e por isso fiquei com todos os afazeres por minha conta, com a particularidade de dar às pernas a todo o gás uma vez que às duas da tarde tinha a peregrinação da catequese da mais nova, assinalando o fim do mês de Maio, mês dedicado a Maria.Foi um dia de uma correria doida.
Já no domingo de manhã, e tal como é habitual todos os anos , fiz a peregrinação, com a minha mais velha, à Srª da saúde. São 12 km de caminhada, feita por cerca de 40.000 peregrinos, que acompanham o andor da Senhora. É uma emoção sem fim observar os que cumprem as promessas por pedidos já alcançados; os que em desespero caminham devotos, com fé de encontrar solução para os seus problemas. Jovens, velhinhos, homens, mulheres, crianças todos unidos pela fé, cantando e orando com emoção.
Há grupos de dispersos de animadores, que ao som da viola e de muitas canções dedicadas à Senhora da saúde, vou animando a caminhada tornando-a mais leve para todos, especialmente para quem ela é uma dura tarefa. 
Sou cristã, não muito praticante, mas há tradições, que não sendo cumpridas, deixam um vazio difícil de explicar.



A tarde de domingo foi  dedicada aquilo ao que não se faz sozinho. Tratar das roupas; da depilação da mais velha; apoiá-la no trabalho de francês; apoiar a mais nova nos trabalho da escola; dar banho ao cão; tratar da merenda para a mais velha levar hoje à visita de estudo a Santiago de Compostela e toda uma imensa lista de coisas que não acabam nunca. Cheguei a um ponto o corpo já não queria obedecer. Bolas, nem no descanso é possível descansar.
Por cá a semana,  já sem formações, mas ainda assim na corrida contra o tempo, promete ser um pouco mais calma. 

Boa semana para todos, com sol e alegria!