quarta-feira, 21 de outubro de 2015

" Constrói ligações humanas. Dedica-te a aprofundar laços com as pessoas que te rodeiam. Concentra-te em ajudar os outros a alcançarem os seus sonhos e preocupa-te mais com o serviço  altruísta, em vez da autogratificação. Vieste ao mundo para enriquecê-lo e estarás a trair-te a ti mesmo se esqueceres esta verdade ".

Robin Sharma

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Dentro de nós, por vezes, nascem vazios. Não sabemos como explicá-los. Sentimo-los apenas como oco que  por momentos nos tira o ânimo e nos deixa num certo marasmo.
Poder caminhar em cima daquela nuvem laranja, na direção que nem eu sei, e chegar a um lugar onde todos os vazios não existam, sem ter de justificar a direção tomada, é isso que me apetece.
A liberdade de poder ser e sentir, sem culpa, sem receios, sem justificações. 
Nos momentos introspectantes sinto-me só, porque incompreendida. De resto não posso culpar ninguém, eu própria tenho por vezes alguma dificuldade em compreender-me que seria injusto acusar alguém.
Mas, tal como a nuvem passageira, também estes meus momentos o são. 
Entretanto, iniciarei a caminhada na nuvem laranja, deixarei que me salpique os  cabelos de purpurinas cor de fogo, shiu, sem ninguém dar conta.



sexta-feira, 16 de outubro de 2015


O cinza fumo invade, de novo, o fim-de-semana. 
Ansiamos toda a semana, ao som do estalar das folhas sob os pés, que o os dias de pausa cheguem para viver em família momentos felizes, dentro do abraço quente deste soalheiro Outono.
O sol fará, porém, também ele uma pausa para descanso dos seu raios. Sendo, faremos tudo conforme planeado. Substitui-lo-emos por mantinhas e pantufas e viveremos.


Bom fim-de-semana para todos

quinta-feira, 15 de outubro de 2015



Viver hoje. Viver o melhor possível. 
Vai chegar um dia que olharemos para a nossa vida e constataremos que temos mais passado que futuro. 
Hoje é o dia certo para dar-mos o nosso melhor, fazer-mos o nosso melhor, amar-mos o nosso melhor, sentir-mos o melhor de nós e o melhor de cada um que nos preenche os dias.

Uma excelente quinta-feira para todos

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Deslumbras como um belo cisne. Há poucochinho sentias-te um patinho feio.
As lágrimas derramadas pela tua deselegância e pelo (aparente) desinteresse do sexo oposto deixaram de ser. Estás uma rapariga bela, é bem verdade!
Os rapazes, tal como tinha sido fadado, encantam-se com a tua beleza. Diz-se que, vivêssemos nós uns séculos atrás, seriam disputados duelos.
Ainda que feliz por te sentires amada e desejada, apoquenta-te esta avalanche de pretendentes. Não estavas preparada para num curto espaço de tempo seres o centro de tantas atenções e cuidados. No fundo, tu sabes que tudo isso é efémero e acabas por te sentir perdida.
Gosto de te ver feliz. No entanto quero mais para ti. Quero que sejas feliz. O teu contexto sentimental actual não é, de modo algum indício do que está por vir. Tu, eu sei, que ainda que por vezes não o demonstres, sabe-lo  bem.


sábado, 10 de outubro de 2015

Sexta-feira à noite bem fresquinha. A tentação de ligar o forno venceu qualquer programa. Entre formas, tachos e panelas saíram fumegantes


Tarte de legumes, com mozzarela fresco de búfala e salmão fumado.


Bacalhau com natas


uma espécie de tarte de banana com coco e farinha de aveia.

Maravilhas mais apreciadas nesta estação que me encanta.


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

" Entrava-se na cozinha de fumada pela lareira, e da panela poisada entre os dois potes de ferro preto, saía um aroma doce a marmelada. Aguardava-se expectante o fim da tão fumegante tarefa, sentados no "preguiceiro".

Depois de pronta, e distribuída pela fileira de malgas de barro, colocadas em cima da mesa de madeira gasta, a panela é-lhes entregue nas mãos doridas pelas facas com que ajudaram a descascar tantos marmelos. Cada um, com uma colher de sopa, vai rapando à vez a panela, até não haver amostras do que lá foi cozinhado. No fim, cada um dispersa ao encontro dos afazeres que lhes  estão destinados.
A mãe, de lenço na cabeça e rosto afogueado pelo calor da lareira, aproveita o que sobrou dos marmelos: faz, a não menos doce e aromática geleia ".

imagem do google  (quase igual à realidade de Maria)



Bom fim-de-semana para todos (com ou sem marmelada).

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

MR a meio de uma conversa acerca de uma amiga que por vezes é bastante agressiva para ela:
" -Mãe, eu não posso deixar de ser amiga da Leonor!" 
"- Então porquê, se ela é sempre tão rude  e  bruta contigo?" 
"- se eu deixar de ser amiga da Leonor, o Gabriel, deixa de ser meu amigo. Eu não posso perder a amizade dele, mãe".
As crianças usam cada arma...

A adolescência vem acompanhada de montes de questões e certezas inabaláveis, que ora mantêm os pais à procura da melhor resposta, ora à procura do melhor argumento para abalar tão certas certezas. Entre quezílias e diferentes posturas, adequadas ao amadurecimento em épocas diferentes, se vai tentando acertar, e muitas errar. Estas últimas são as que mais contribuem, a contra-senso, para crescer, quer uns, quer outros.
É tempo inglório, chamar atenção de esta ou aquela indumentária demasiado fresca, em dias também eles frescos, quando se sai de casa, quer esteja sol, chuva ou nevoeiro, de mangas curtas. Não há moral. A tosse constante, que não nos deixa pregar olho toda a noite, é a confirmação da imoralidade. Diz que não. A diferença é que trabalha (?).
Vendo bem, há características da adolescência que não passam, nem com o crescimento.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

No aconchego da comprida camisola cor de mel, de lã macia, sob o raios amenos desse Outono dourado, caminhas sobre folhas estaladiças. Sorriso quente de quem sabe que o abraço saudoso te aguarda ansioso, depois da clareira, de baixo do carvalho secular. 
Encontros fortuitos de um amor ainda recente de uma intensidade sem medida. Temes, e ao mesmo tempo, desejas contar ao mundo a força e a magia desse sentimento que te tem mudado os dias e as noites.
Receias que seja um sonho breve. Que voe junto com uma dessas folhas avermelhadas, que se desprende do carvalho, ao sopro momentâneo do vento, para bem longe.
Desejas, noutro lado de ti, gritar a felicidade que dança por dentro de todo o teu ser. Não precisas dizer nada: o teu olhar e o teu sorriso são janelas escancaradas da tua alma.


segunda-feira, 5 de outubro de 2015

A casa cheia de gente feliz e bem disposta, recarregou-me de nova energia para mais este novo começo.
De coração cheio, abraço esta nova semana, crente que será uma bela semana. 
Hoje creio que o desacelerar vem da nossa orientação mental. Sem stress é possível fazer o mesmo que com stress Respirar fundo e não duvidar da capacidade de gerir o tempo, para que tudo corra a preceito.



Uma excelente semana para todos

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Este novo ano, pelo menos para mim é em Setembro que o ano começa, a rotina está diferente tal  como já mencionei uns posts atrás.
A minha mais nova entrou para o basquetebol e para além de andar muito feliz, em apenas um mês, já notamos uma grande a diferença a nível da segurança e da ansiedade.Ontem iniciou  a natação e penso que será mais um ponto a favor do seu equilíbrio emocional.
O marido, ainda que já tenha feito umas tantas despedidas como basquetebolista, deixou-se aliciar por um amigo e fará mais uma época, desta vez no clube onde deu os primeiros passos na modalidade, o clube aqui da terra. Embora treine menos vezes por semana, o dia a dia passou a ser uma corrida desenfreada. Os treinos de um, os treinos do outro, e todas as particularidades que aos poucos tentamos habituar-nos, não têm deixado tempo nenhum para mim. Diminuiu até. Eu que andava tão expectante relativamente a uma série de novas aprendizagens, vejo, mais uma vez, necessidade de ser resilente, para não me frustrar em demasia. 
A minha mais velha está a gostar imenso do curso profissional que decidiu seguir, mas, também ela, tem uma carga horária superior aos 10ºs anos do ensino normal. 
Os dias são uma loucura e passam a uma velocidade assustadora.
Neste momento procuro formas de equilibrar a balança. Nem tempo para ler tenho tido. Mal pego num livro, logo o largo, que o sono força-me a fechar as pálpebras. Mas este é um problema que não tenciono arrastar. Pelos menos, enquanto espero que mais nova faça a aula de natação (não pode ser de outra maneira), vou aproveitar para colocar a leitura em dia :).
Sendo este o panorama dos meus fins de dia, o dos meus dias também não tem sido diferente. A chefia nova tem uma energia inesgotável, para além de achar que antes de cá chegar, eu não tinha que fazer, pede-me imensas coisas ao mesmo tempo, deixando-a numa roda viva. 
Estes são pois os motivos porque tenho andado mais ausente da blogosfera, motivos esses serão triados para que eu me acerte.


Bom fim-de-semana para todos (por cá será, mais uma vez, partilhado com muita gente:))


quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Mais nova: - Mãe, porque é que não és professora? 
- Não calhou. Porque perguntas?
Mais nova: - Porque tu ias ser uma excelente professora.
- Porque dizes isso?
Mais nova: - Porque tudo o que me dizes em casa é tudo verdade, é igual ao que a professora nos diz na escola. 

Esclareço - no que à cidadania diz respeito.
Valeu-me uma boa professora, para credenciar os princípios que incuto:)